Parque Nacional da Serra da Bodoquena/MS

Parque Nacional da Serra da Bodoquena/MS

Parque Nacional da Serra da Bodoquena/MS

Razão social da empresa: Ministério do Turismo

CNPJ da Empresa: 05.457.283/0002-08

Nacionalidade da Empresa: Brasil

Responsável pelo projeto: Coordenação-Geral de Aproveitamento Turístico de Ativos de Domínio Público

Site da Empresa: turismo.gov.br

Data estimada de início: 15/04/2021

Data estimada de conclusão: 31/12/2021

Natureza do Investimento: Brownfield

Modelo de Contrato: Concessão

Valor estimado: Entre USD 1 – USD 10 milhões

Estimativa de novos empregos: Até 49

Metragem de área construída total do projeto em m²: 764.810.000

Metragem de área total adquirida em m²: 764.810.000

Grupo operador: Ministério do Turismo

Descrição do projeto:

O Parque Nacional da Serra da Bodoquena – PNSBQ, localizado na faixa de 150 km ao longo da fronteira entre o Brasil e o Paraguai, o PNSBQ é Unidade de Conservação federal criada em 2000 por Decreto Presidencial, que delimitou área total aproximada de 76.481 hectares, abrangendo os municípios de Bodoquena, Porto Murtinho, Bonito e Jardim, todos localizados no Mato Grosso do Sul (MS).

Pelo fato de estar inserido integralmente no Cerrado, mas sofrendo influências dos biomas Mata Atlântica e Pantanal, seus aspectos físicos conferem ao PNSBQ características ímpares, favorecendo a riqueza de sua biodiversidade, a variedade de ambientes e a existência de paisagens exuberantes. Essa importância fez com que o parque se tornasse área núcleo da Reserva da Biosfera do Pantanal e da Mata Atlântica, declaradas, respectivamente, em 2000 e 1991.

Em termos de biodiversidade, a região do PNSBQ está completamente inserida no Cerrado, bioma de rica diversidade biológica com presença estimada de 160.000 espécies, apresentando alto endemismo para alguns grupos. No que se refere à fauna, a UC possui uma das áreas mais ricas do mundo, proporcionando ampla diversidade de populações de aves, mamíferos, répteis, peixes, insetos e anfíbios. São encontrados veados, tatus, catetos, queixadas, iraras, lontras, macacos-prego, antas, capivaras, pacas, tapetis, mãos-peladas, gatos-palheiro e cachorros-vinagre. Foram registradas quase 400 espécies de aves. Além de terem sido catalogadas espécies novas de peixes e espécies raras de répteis e anfíbios.

 

Dados sociais, econômicos e ambientais do local do projeto: